12 jun. 2009

La Llorona

A chorona é uma personagem lendária originária do México, muito conhecida também em outros países da América Hispânica. Trata-se de uma mulher que perde seus filhos e, convertida em alma penada, os procura em vão, turbando com seu pranto os que a ouvem. Mesmo que existam muitas versões da estória, os fatos principais são sempre os mesmos.

O Mito:

Uma bela camponesa mexicana se transforma na querida de um nobre espanhol, Don Nuño de Montes, um cavalheiro de ilustre berço. Mas acontece uma coisa muito básica. O hispânico, numa atitude “mui varonil”, se compromete com uma dama de posição e rejeita Luiza, que tinha três filhos de seu amante. A mulher desespera, já que amava profundamente Don Nuño, e num rapto de loucura assassina as três crianças. Mas reage tardiamente e corre pelas ruas de Cidade de México chorando sua desventura. Só nesse momento Don Nuño percebe sua brutal reação e por sua vez, desesperado frente à morte de seus filhos, se suicida.
O juízo a Luiza é muito rápido e ela é executada no mesmo dia em que se enterrava Don Nuño. O fantasma de Luiza é chamado de “A chorona”, já que se apresenta como uma sombra queixosa que chora desconsolada.

La Llorona
Lila Downs
Composição: Luis Martz

Cantado por Lila Downs, uma das mais impactantes vozes que eu já escutei...




A chorona

Dizem, que não guardo luto, chorona
Porque não me vêem chorar
Dizem, que não guardo luto, chorona
Porque não me vêem chorar

Há mortos que não fazem barulho, chorona
E é maior o seu penar
Há mortos que não fazem barulho, chorona
E é maior o seu penar

Ai de mim, chorona
Chorona me leva ao rio
Ai de mim, chorona
Chorona me leva ao rio

Cobre-me com teu manto, chorona
Porque morro de frio
Cobre-me com teu manto, chorona
Porque morro de frio

Saías do templo um dia, chorona
Quando ao passar eu te vi
Saías do templo um dia, chorona
Quando ao passar eu te vi

Um belo vestido usavas chorona
Que a Nossa Senhora eu pensei que eras
Um belo vestido usavas chorona
Que a Nossa Senhora eu pensei que eras

Ai de mim, ai de mim chorona
Chorona de azul do céu.
Ai de mim, ai de mim chorona
Chorona de azul do céu.

E nem que me custe a vida, chorona
Não deixarei de te amar
E nem que me custe a vida, chorona
Não deixarei de te amar



No hay comentarios:

Publicar un comentario

Comente aqui..