13 jun. 2009

Por Quien Merece Amor

Silvio Rodriguez


Por Quem Merece Amor


Incomoda-te meu amor?
Meu amor de juventude,
E meu amor é uma arte
Em virtude.

Incomoda-te meu amor?
Meu amor sem máscara,
E meu amor é uma arte
De paz.

Meu amor é minha prenda encantada,
Minha extensa moradia
É meu espaço sem fim.
Meu amor não precisa fronteiras
Como a primavera
Não prefere jardim.

Meu amor não é amor de mercado,
Porque um amor sangrado
Não é amor de lucrar
Meu amor é tudo quanto eu tenho,
Se o nego ou o vendo,
Para que respirar?

Incomoda-te meu amor?
Meu amor de humanidade
E meu amor é uma arte
Em sua idade

Incomoda-te meu amor?
Meu amor de fonte de água
E meu amor é uma arte
Maior.

Meu amor não é amor de só um,
Senão alma de tudo
O que urge sarar.
Meu amor é um amor de baixo
Que o devir me trouxe
Para fazê-lo empinar.

Meu amor, o mais apaixonado,
É o mais esquecido
Em sua antiga dor.
Meu amor
Abre o peito à morte
E despenha sua sorte
Por um tempo melhor.
Meu amor, este amor com garra
É um sol aceso
Por quem merece amor.


Imprimir

Com MPB4, versao em português



Com Silvio Rodriguez


2 comentarios:

  1. Agora, é minha vez de me "apropriar" desses versos para o meu blog. Roubei. Pronto.

    Beijos!

    ResponderEliminar
  2. está mesmo à sua disposiçao, Romyna. A música é patrimônio das pessoas. Ninguém se apropria dela... ela passou a ser propriedade de todos a partir do momento em que saiu dos dedos do artista

    ResponderEliminar

Comente aqui..