14 oct. 2009

Mercedes Sosa II

 



Continuando a homenagear a Negra, sempre à busca de novas formas de arte. Sempre disposta a reconhecer novos artistas, e a recriar versões de músicas engajadas.





Si Se Calla El Cantor
Horacio Guarany

Se o cantor se calar

Se o cantor se calar, se calará a vida
Porque a vida, a vida é inteira uma canção
Se o cantor se calar, morre de espanto
A esperança, a luz e a alegria
Se o cantor se calar ficarão sozinhos
Os humildes pardais dos jornais,
Os operários do porto se persignam
Quem haverá de lutar por seu salário

RECITADO
O que há de ser da vida se o que canta
Não levanta a sua voz nas tribunas
Pelo que sofre, por quem não há
nenhuma razão que o condene a andar sem coberta

Se o cantor se calar morre a rosa
De que serve a rosa sem a canção.
Deve a canção ser luz sobre os campos
Iluminando sempre os de baixo.
Que não cale o cantor porque o silêncio
Covarde encobre a maldade que oprime,
Não sabem os cantores inclinados
Não calarão jamais de frente ao crime

RECITADO
Que se levantem todas as bandeiras
Quando o cantor se obstine com seu grito
Que mil violões dessangrem na noite
Uma imortal canção ao infinito

Se o cantor se calar... cala a vida.





Soy Pan, Soy Paz, Soy Más
Piero
http://www.youtube.com/watch?v=ikUdtMkZkCQ
Sou Pao, Sou Paz, Sou Mais 


Sou água, praia, céu, casa, planta,
Sou mar, Atlântico, vento e América,
Sou um monte de coisas santas
Misturadas com coisas humanas
Como te explico... coisas mundanas.

Fui criança, berço, peito, teto, coberta,
Mais medo, cuca, grito, pranto, raça,
Depois misturaram as palavras
Ou se escapavam os olhares
Algo aconteceu... não entendi nada.

Vamos, diga-me, conte-me

Tudo o que está te acontecendo agora,
Porque senão quando estiver a alma sozinha chora
Temos que tirar tudo pra fora, como a primavera
Ninguém quer que por dentro algo morra
Falar nos olhando nos olhos
Tirar o que for possível pra fora
Para que dentro nasçam coisas novas.

Sou pão, sou paz, sou mais, sou o que está por aqui
Não quero mais do que me puderes dar,
Hoje te é dado, hoje te é tirado
Igual que com a margarida... igual ao mar,
Igual à vida, à vida, à vida, à vida...

Vamos, diga-me, conte-me
Tudo o que está te acontecendo agora,
Porque senão quando estiver a alma sozinha chora
Há que tirar tudo pra fora, como a primavera
Ninguém quer que por dentro algo morra
Falar nos olhando nos olhos
Tirar o que for possível pra fora
Para que dentro nasçam coisas novas.


Todavía Cantamos
Víctor Heredia
 http://www.youtube.com/watch?v=LaWkEZHzukE
Ainda Cantamos

Nós ainda cantamos, ainda pedimos
Ainda sonhamos, ainda esperamos.
Apesar dos golpes que nos deu na nossa vida,
O engenho do ódio, desterrando ao esquecimento
Os nossos seres queridos.

Ainda cantamos, ainda pedimos,
Ainda sonhamos, ainda esperamos.
Que nos digam onde esconderam as flores
Que perfumaram as ruas perseguindo um destino.
Onde, onde foram.

Ainda cantamos, ainda pedimos,
Ainda sonhamos, ainda esperamos.
Que nos dêem a esperança de saber que é possível
Que o jardim se ilumine com os risos e o canto
Dos que amamos tanto.

Ainda cantamos, ainda pedimos,
Ainda sonhamos, ainda esperamos.
Por um dia diferente sem instâncias nem jejuns
Sem temor e sem pranto e por que voltem ao ninho
Nossos seres queridos.

Ainda cantamos, ainda pedimos
Ainda sonhamos, ainda... esperamos.


Todo Cambia
Julio Numhauser


Tudo muda

Muda o superficial
Muda também o profundo
Muda o modo de pensar
Muda tudo neste mundo
Muda o clima com os anos
Muda o pastor seu rebanho
E assim como tudo muda
Que eu mude não é estranho


Muda o mais fino brilhante
De mão em mão o seu brilho
Muda o ninho o passarinho
Muda o sentir o amante

Muda o rumo o caminhante
Mesmo que lhe cause feridas
E assim como tudo muda
Que eu mude não é estranho

Muda, tudo muda
Muda, tudo muda
Muda, tudo muda
Muda, tudo muda

Muda o sol em sua carreira
Quando a noite subsiste
Muda a planta e se veste
De verde na primavera

Muda a pele a fera
Muda o cabelo o ancião
E assim como tudo muda
Que eu mude não é estranho

Mas não muda meu amor
Por mais longe que eu esteja
Nem a lembrança nem a dor
Do meu povo e minha gente

O que mudou ontem
Terá que mudar amanha
Assim como mudo eu
Nesta terra longínqua

Muda, tudo muda
Muda, tudo muda
Muda, tudo muda
Muda, tudo muda

Mas não muda o meu amor...


2 comentarios:

  1. Os primeiros versos de "Se o cantor se calar" são extremamente impactantes: "Se o cantor se calar, se calará a vida/ Porque a vida, a vida é inteira uma canção". Lindo isso. Saudades desse cantinho. Saudades de você, sumida.

    Beijo grande!

    ResponderEliminar
  2. Também estou com saudades de postar. Com saudades do cantinho que tem estado esquecido por tanto trabalho e ocupaçoes que tenho tido ultimamente.
    Mas já já vou voltar a escrever nestas páginas.

    "se o cantor se calar, se calará a rosa. De que serve a rosa sem cançao"

    ResponderEliminar

Comente aqui..